BRASIL, Sul, SAO BORJA, PASSO, Mulher, de 20 a 25 anos, French, Interlingua, Viagens, Política, leituras em geral
MSN -

 

   

    UOL - O melhor conteúdo
  BOL - E-mail grátis
  Meu orkut
  meu UOLK - é meio pornográfico... os amigos


 

 
     

       

       


     
     
    Identidade



    FRIO, CAFÉ, CIGARRO E MPB...

                É no gélido e solitário inverno que algumas coisas ganham mais a atenção dos corações solitários da madrugada. Quebrar o gelo da solidão com pequenos goles de café, acompanhados de um auto suicídio lento e indolor a cada tragada do cigarro. A música fica de pano de fundo mantendo a profunda melancolia, e a cada frase concretizada, confirmando minha deixa de abandono.

                O banho antes de iniciar cada papo longo e duradouro com as teclas empoeiradas do PC, com a telinha fosca e brilhante e talvez pescar na imensidão das salas de bate-papo a salvação. Há muito tempo me questiono se essa falta de mim mesma é a apenas o reflexo desse abandono?? Não pensem vocês que estou só, até tenho muita gente ao meu lado, muitos papos no dia a dia, muita correria e produção, mas ainda assim é constante esse sentimento de solidão. Sólida solidão!

                O frio entra por cada porinho do meu corpo o que indica sangue correndo, vida e essas coisas, mas se não fosse o cafezinho para por ordem na mente, aquecer o corpo e me alegrar, e só ele consegue agitar dentro de mim uma ansiedade que a muito vem morrendo. Bem o cigarro acaba e vida continua... Que triste forma de acabar com tudo, uma forma longa e duradoura, talvez pelo medo de acabar de uma vez, ou pela esperança que algum dia mude.

                As músicas vão passando e de som a som o sono vem e com isso o “stop” de mais uma noite... É está passando mais um dia, e não foi hoje, o dia que decidi mudar, nem foi o dia de tudo acabar... Vai seguindo... Talvez mais um cafezinho acompanhado do último cigarro da noite retome o amor pela vida... Beijus eu volto

    Uma música para a compor o texto...

     



    Escrito por Lins Roballo às 01h46
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




    VI, GOSTEI E RECOMENDO!

    CAFÉ DA MANHÃ PLUTÃO

    "O Café da Manhã em Plutão: Um elo com a Nova História Cultural. Na Irlanda, durante o final da década de 50, uma mulher abandona seu filho na porta de uma igreja. O padre Bernard encontra o bebê e entrega aos cuidados de Ma Bradem, uma senhora de personalidade rigorosa, que mais tarde ao especular sobre homossexualidade do garoto revela bruscamente não ser mãe dele. A partir daí, Patrick começa a busca pela sua mãe verdadeira, ao mesmo tempo em que sua identidade sexual desabrocha. Patrick “Kitten” Branden cresce numa cidade no interior da Irlanda num período marcado por conflitos com sua escola católica e atentados do ira. A vida de Patrick caminha junto ao contexto da Nova História Cultural, enfatizando as rupturas sociais, as práticas religiosas e a multipluralidade étnica e cultural, além de conectar as políticas em um nível micro, a qual Michel Foucault chama de “microfísica”.
    O filme aborda protestos político-sociais numa época em que o republicanismo irlandês lançava bombas e praticava atos terroristas. O conflito girava em torno dos católicos e protestantes, no qual os primeiros queriam a unificação com a República da Irlanda e os últimos desejam continuar na Grã-Bretanha. Patrick “Kitten” presencia alguns bombardeios, inclusive no decorrer do filme Kitten é o principal acusado em bombardear uma danceteria e matar um soldado.
    Podemos ressaltar a orientação sexual de Kitten como um dos pontos de destaque no filme e relacionar com a Nova História Cultural. As roupas, a maquiagem e os gestos corporais deixam o espectador embaraçado em atribuir Patrick ao gênero masculino, pois sua fisionomia aponta para o viés tido como “modelo” feminino. A História Cultural retrata a importância do vestuário como demarcação da história dos espaços, bem como frisa a importância da definição de uma sociedade e cultura. Patrick é ‘considerada’ travesti não só pelo mesmo ter o reconhecimento de sua orientação sexual, mas por usar uma vestimenta e acessórios que reforcem sua identidade sexual para a sociedade. Os gestos do corpo estão ligados também ao debate da Nova História Cultural, sendo considerados cruciais para o estudo de uma cultura. Atualmente, por exemplo, já existem discussões sobre a cultura dos travestis, ou seja, isso mostra o quanto cresce a multiplicidade cultural em nosso mundo, revelando inúmeras facetas da sociedade.
    O desfecho do filme desenrola em Londres, local onde Patrick vive momentos de diversão e drama, além descobrir o paradeiro de sua mãe. Patrick inventa uma história forjada de uma companhia telefônica como pretexto para conhecer sua mãe, entretanto, não revela ser filho dela. A fotografia e os recortes (religioso, social e sexual) das cenas demonstram de forma enfadonha e ao mesmo tempo afável, a realidade de Patrick “Kitten” Branden diante de tantos obstáculos de nossa contemporaneidade. "

    seta3.gif (99 bytes) Críticas

    nota Resumo
    10

    Joey (Crítica do Leitor): "Gostei pela trilha sonora, pela fotografia impecável. Um dos melhores do Festival do Rio deste ano! Um filme com poesia."
    8

    Márcia Drumond (Crítica do Leitor): ""Pussy" defende-se da dor de forma peculiar: transforma-a em ironia, rindo e debochando da própria desgraça. Protege a alma delicada, mesmo que num corpo masculino, de sofrimentos maiores do que a vida já impõe."
    8

    Mateus Beleza Rocha
    (Crítica do Leitor): "O único problema deste filme é o excesso de músicas (que são boas) em sua trilha sonora." Texto completo
    10

    Jonas
    (Crítica do Leitor): "A interpretação de Cillian Murphy é digna dos grandes astros do cinema." Texto completo
    8

    Viviane França (Crítica do Leitor): "Um belo e sensível filme." Texto completo
    10

    Iris (Crítica do Leitor): "Uma história duríssima contada com tanta dignidade e pureza." Texto completo
    10

    Priscila
    (Crítica do Leitor): "Falar de sexualidade, terrorismo e política sem descer do salto não é pra qualquer um." Texto completo
    10

    Tony
    (Crítica do Leitor): "A pureza de Pussy é algo que encanta." Texto completo
    10

    Alicia June
    (Crítica do Leitor): "Muito acima de minha expectativa. Belas interpretações do Cillian Murphy e Liam Neeson e músicas belíssimas. Cinema europeu me agrada muito."
    10

    Robson
    (Crítica do Leitor): "Um filme delicado que te faz sorrir e chorar. Uma lição de vida!"
    9

    Delvecclio Trivelato (Crítica do Leitor): "Muito bom. A trilha sonora é perfeita e bem humorada. Vale a pena assistir, pois é bem divertido."
    9

    Ana Gabi (Crítica do Leitor): "Trilha sonora magnífica, uma bela história. Uma comédia bem poetizada, se assim posso dizer. Recomendo a todos os amantes de cinema!"

     

       

       

      

    Treiler do filme.

     

     

    AH TODOS UM BOM CAFÉ DA MANHÃ.... EU VOLTO.

    Informações sobre filmes vá em

     

     

    Porque cinema é muito mais do que pipoca!

     



    Escrito por Lins Roballo às 08h45
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




    Maravilhoso... essa música tem tudo haver com a vida amorosa das pessoas decididas... olha só baixem, ousam e vejam bem atradução... é tudoooooo...

    mas olha comentem... é importante para mim que os comentes fiquem registrados... espero que gostem... prometo estar mais presente no blog e poder postar coisas interessantes para vocês... kises e kises... até mais... eu volto...



    Escrito por Lins Roballo às 18h51
    [   ] [ envie esta mensagem ] [ ]





    [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]